Namoro Homem casar

O namoro está me deixando desmotivado e triste

2020.10.22 00:17 Living-Computer-3945 O namoro está me deixando desmotivado e triste

Comecei a namorar uma garota há cerca de dois meses, as coisas vão bem com ela quando estamos juntos, mas algumas coisas estão me incomodando. Primeiramente um pouco que me afastei dos meus projetos pessoais "auxiliares", como hobbies, planejamentos futuros, isso não foi uma opção, eu simplesmente perdi a motivação, não sei se é por causa do namoro que meu deu doses de satisfação que eu buscava nessas atividades ou algum outro fator. Outra coisa ruim é que a maioria dos meus amigos que tenho pra tomar uma cerveja e ficar falando da vida são mulheres, seja amigas ou relacionamentos anteriores que após um tempo acabaram virando amizade e eu não me sinto a vontade para encontrar com essas pessoas estando num relacionamento, mesmo que eu não vá trair, parece sempre que estou fazendo algo errado, eu não sei se ela aceitaria e acho que eu ficaria meio de cara se o contrário acontecesse, então fica meio fora de cogitação. Eu não tenho amigos aqui, tenho dificulde de fazer amigo homem e não sou nativo daqui embora já more há algum tempo na cidade, também não tenho familia aqui. Então tenho levado uma vida um tanto solitária esses meses, dependendo só desse relacionamento, que pra mim não tem me dado a atenção que eu carentão to precisando e eu não posso cobrar muito pois é algo recente e eu não sou de ficar em cima pedindo atenção. Algo assim aconteceu também no relacionamento anterior, de alguma forma parece que me sinto em um deserto e tudo some de volta de mim quando estou num relacionamento, mesmo que os momentos a dois sejam maravilhosos e mesmo quando recebo a atenção que eu espero como nesse anterior que eu tinha 100% de atenção. Acho que é até perigoso pra mim casar pois talvez eu fique só em razão da pessoa. Então to meio na merda e só queria desabafar, as vezes dá vontade de chutar o balde e sair pra flertar com outras pessoas pois me sinto meio carente mesmo, sozinho e inseguro por receber doses controladas de atenção, Talvez seja essa a solução e desencanar de esperar de algo que provavelmente não vai levar a lugar nenhum.
submitted by Living-Computer-3945 to desabafos [link] [comments]


2020.04.10 04:02 SubodeiBR Final de namoro, infelicidade, sei lá oq to sentindo...

Boa noite. No ensino médio conheci uma garota que viria a ser minha namorada, resumindo a gente se dava super bem e se entendia demais, nunca ficamos um dia sem se falar, dificilmente discutíamos, mas quando acontecia chegávamos em uma solução fácil. Enfim, terminamos a escola. Entramos em universidades diferentes, e logo no final do primeiro ano ela conseguiu um emprego excelente, e foi morar sozinha. Queria que eu fosse com ela, entretanto eu só fazia alguns bicos que no final do mês davam uns 600 reais. Acabei recusando de morar junto, não queria ser mal visto pela família dela. No final ela acabou vindo morar mais próximo da minha casa, assim conseguiríamos passar mais tempo juntos pq quando entramos nas universidades só conseguíamos ficar juntos finais de semana. E assim se passou mais 3 anos, ela tinha conseguido ser efetivada na empresa e estava com um plano de carreira e eu fazendo meus bicos pra se manter. Foi ai que tudo começou a mudar, ela ganhando super bem, queria fazer coisas que eu não tinha de onde tirar o dinheiro e eu por outro lado nunca quis ser bancado. Finalmente consegui um estágio na minha área, não era um salario maravilhoso porém muito melhor do que eu ganhava e sabia que todo final do mês era garantido na minha conta. Nesse meio tempo ela começou a frequentar os happy hour da empresa, e começou a sair com o pessoal, eu nunca a proibi, muito pelo contrario sempre incentivei a sair, queria que ela aproveitasse a vida não só comigo, pois começamos a namorar muito cedo. Então passou mais algum tempo e eu consegui um "bico" pro fim de semana em outra cidade, minha rotina era acordar as 05 30 e chegar em casa 00:00. Antes desse emprego nos víamos 3 4 vezes por semana. Mas agora nas sextas eu saia da aula e já ia pra outra cidade na casa de um amigo pra poder começar cedinho no outro emprego e chegava domingo as 22h. passaram-se dois meses nessa rotina. Eu só conseguia ficar com ela pra dormir nas segundas e terças, sempre chegava tarde da aula então não conseguíamos sair era basicamente dormir pois vivia cansado, já que não tinha folgas. Até que uma segunda feira ela me liga e diz que n estava se sentindo muito bem e queria ficar sozinha. No outro dia me disse o mesmo ai já liguei pra ela, queria saber oq tava acontecendo. Ela me disse que eu não estava lhe dando atenção, nunca conseguia sair com ela e não estava a vendo muito e se sentia sozinha. Acabou me pedindo um tempo. Quando me disse não acreditei naquilo tudo, eu estava dando tudo de mim para poder acompanha-lá, e teria que ter alguns sacrifícios... Se passou 3 dias eu liguei pra conversar, discutimos e acabamos terminando. No outro dia pela manha ela me liga chorando pedindo desculpas, dizendo que tava muito confusa e tomou a decisão errada. Queria sair pra conversar e colocar os pingos nos is. Conversamos bastante, e eu disse pra ela, que só era pra gente voltar se fosse uma decisão dela, não era pra ser influenciada pelos pais, já que eles tinham muito afeto por mim. Nao iria adiantar ela voltar por eles, não tem como empurrar com a barriga um namoro. Ela disse, sim a decisão é minha, eu quero estar contigo, quero viver contigo, se casar, ter filhos. Você é minha vida, quero te fazer o homem mais feliz do mundo. Ai que homem vai recusar isso? eu me sentia da mesma forma. Acabamos voltando. Fizemos muitos planos, eu larguei o emprego do final de semana pra passar mais tempo com ela. Em dezembro tinha planejado pra morar juntos, essa época era final de julho. Se passaram mais algumas semanas, senti que ela estava estranha, mais imaginei que não seria mais a mesma coisa, depois daquele tempo que demos, quase 5 anos e foi a primeira vez que tínhamos brigado e ficado sem se falar. Deixei rolar... Ai pensei em uma surpresa pro nosso 5 ano de namoro, arrumei uma viajem pra tentar se reaproximar mais e começar uma nova etapa da nossa vida, deixar aquilo no passado. Iriamos viajar no sábado pela manha, contaria a surpresa na sexta a noite. Na quinta me manda uma mensagem, dizendo que queria outro tempo. Meus amigos MEU CHÃO CAIU, FIQUEI SEM REAÇÃO, CHOREI FEITO CRIANÇA, foi uma frustração terrível, não conseguia me concentrar no trabalho, na universidade, é serio foi terrível. Só pensava nela e na resposta que ela me daria. E o pior de tudo a decisão não era minha, isso me consumia, ficava imaginando oq aconteceria, se voltaríamos ou não. Passou 6 dias não consegui mais suportar tudo aquilo e liguei para ela, falei vamos conversar, eu implorei, pra ela voltar, falei muito, muito mesmo e ela só me dizia, não sei, não sei, preciso de mais tempo pra pensar nisso. Me deixa pensar um pouco mais, nao quero tomar a decisão errada, me pediu mais alguns dias. Eu não ia conseguir esperar, eu falei, se tu me amasse não iria ter duvida nessa decisão, então acho melhor a gente terminar de vez! só me diz uma coisa, tem outra pessoa que vc está gostando? ela falou, "nesse tempo que vc me deixou sozinha eu me acostumei e gostei, eu comecei a reparar nas outras pessoas e acabei curtindo". Eu não falei nada, só desliguei o telefone. Terminou por ali 5 anos de namoro por uma ligação telefonica. As primeiras semanas foram difíceis, sentia muito a falta dela, mas com o tempo fui me acostumando. Comecei a sair com meus amigos, conheci novas pessoas, novos lugares e novas garotas. Faz 8 meses que terminamos o namoro e segui com minha vida. Eu não me acho um homem feio, tenho 23 anos atualmente, faz 5 anos que pratico musculação, tenho um corpo legal, mas sei que não sou o Brad Pitt, não tenho muita dificuldades com mulheres, dormi com muitas nesses ultimos meses. Mas em janeiro me bateu uma tristeza absurda, não consegui descobrir oq é, já pensei muito e a solução não vem. Não sei se sinto falta de estar namorando, da minha ex, ou sei lã oq... Sinto uma infelicidade absurda, parece que o mundo ficou cinza. Mas ao mesmo tempo não deixo de trabalhar, estudar, treinar, sair. Meus dias são um saco, são só alguns momentos de felicidade depois volta pra mesma. Mas assim, não tenho vontade de morrer ou fazer alguma merda. Só parece que to vivendo sem um sentido...
O TEXTO FICOU GIGANTE MAS PRECISAVA DESABAFAR!
submitted by SubodeiBR to desabafos [link] [comments]


2020.03.16 20:34 Upa-upa-puxadote 15 Obras de Camilo Castelo Branco em epub

São 15 epubs. Alguns são romances, outros são peças de teatro.
«A caveira do Mártir» - Publicado em 1876, o romance “A Caveira da Mártir” foi um dos maiores sucessos comerciais da carreira literária de Camilo Castelo Branco, quando ainda era vivo e, tal como muitas das obras camilianas, é baseada em casos reais e históricos. Mas, ao contrário de outros romances, que seguem somente uma história linear, aqui é explorado um entrelaçado de histórias, interligadas pelas acções e domínio da Santa Inquisição na justiça portuguesa e da aplicação da pena capital.
«Mistérios de Lisboa» - Publicado num jornal portuense, em 1853. Enredo: Pedro é um órfão de 14 anos, aluno de um colégio católico. Na sua procura pela identidade dos seus pais vai conhecer a trágica história da vida de ambos. À sua volta, várias histórias, entrelaçadas e interligadas, que atravessam todo o século XIX sobre 40 diferentes personagens: amor, paixão, crime e adultério, onde cada um tem o seu papel no destino dos outros.
«A Queda de Um Anjo - Publicado em 1866, esta história sobre a corrupção moral é uma dos mais célebre romances satíricos de Camilo Castelo Branco e também um dos mais divertidos e cómicos. A temática da história é simples: o poder corrompe; e a ostentação, o adultério e a personalidade de “vira-casacas” são corolários dessa corrupção. Enredo: Calisto Elói, um morgado minhoto provinciano de elevados valores morais é convidado para ser deputado em Lisboa, acabando assim por se deixar corromper pelo luxo e pelo prazer que imperam na capital.
«O Judeu» - Publicado em 1866, a obra “O Judeu” de Camilo Castelo Branco é um romance histórico de homenagem àquele que se tornou na figura representativa dos milhares de judeus portugueses que morreram pela Inquisição entre 1540 e 1794, em Portugal. Enredo: História da vida trágica de António José da Silva, o mais famoso dramaturgo português do seu tempo que acabaria posteriormente por morrer na fogueira às mãos da Inquisição.
«O retrato de Ricardina» - A obra foi escrita em plena guerrilha literária, que opôs os escritores românticos da velha guarda, aos jovens estudantes de Coimbra, que defendiam um novo tipo de literatura na chamada “Questão Coimbrã”. Curiosamente, Camilo escreveu este romance com o intuito de parodiar os movimentos literários do Realismo e do Naturalismo, mas o resultado foi uma obra que faz um fresco da condição da mulher da época, com poucos direito e sem grandes liberdades. Enredo: Bernardo, um jovem humilde, que na infância era pastor e aprendiz de pintor, fica subitamente rico com uma herança que recebe. Após formar-se em Coimbra e voltar à sua terra, na freguesia de Espinho, apaixona-se pela bela Ricardina, filha do Abade da região, um homem poderoso, influente e vingativo que recusa que a filha se relacione com alguém das suas origens. Os dois fogem, sempre perseguidos pelos capangas do pai da rapariga.
«O Morgado de Fafe em Lisboa» - Peça de teatro. Enredo: O Barão e a Baronesa de Caçurrães querem casar a filha, extremamente pretenciosa, com um pretendente rico mas a rapariga não acha nenhum dos pretendentes dignos dela. No entanto quanto mais se descobre sobre a personalidade da mesma, mais se percebe que ela é que não é digna dos pretendentes.
«A Bruxa do Monte Córdova» - Publicada em 1867, esta novela Camiliana tem como pano de fundo a guerra civil que ocorreu entre 1831 e 1834, e opôs os defensores de D. Pedro I e da sua filha D. Maria II, liberais e constitucionalistas, aos defensores de D. Miguel I, os absolutistas e tradicionalistas. Mas a acção principal em si relata-nos uma história de amor trágico que define bem a época conturbada em que se vivia, falando principalmente da falta de carácter dos representantes da igreja, enquanto instituição, que incentivavam o fanatismo e o histerismo religiosos e davam azo a intrigas e convulsões sociais.*
«A Brasileira de Pranzins» - Enredo: Marta de Prazins, chamada de “A brasileira” pois está prometida, pelo pai, a um tio que fez fortuna no Brasil, apesar de ter José Dias como seu apaixonado.
«Amor de Perdição» -A mais popular obra de Camilo Castelo Branco, que lhe conferiu fama, popularidade e que o consagrou como um dos mais relevantes escritores românticos portugueses. Foi escrita, segundo o autor, em apenas 15 dias, no ano de 1861, enquanto esteve preso na cadeia da Relação, na cidade do Porto, por se ter envolvido num escândalo de adultério.
Enredo: Simão Botelho e Teresa de Albuquerque, dois jovens enamorados de famílias rivais da cidade de Viseu do século XIX, mantêm um namoro proibido com consequências trágicas e mortais, não apenas para ambos mas também para aqueles que os rodeiam.
«Amor de Salvação» - Amor de Salvação, obra de Camilo Castelo Branco, publicada em 1863, é uma novela passional, considerada pela crítica uma das obras mais bem acabadas do autor. Enredo: Amor de Salvação conta a história da relação conturbada entre Afonso e Teodora, que tinham sido prometidos um ao outro, desde o momento que nasceram.
«Coração, Cabeça e Coração» - Romance que conta a história de Silvestre da Silva, em três grandes fases da sua vida. Uma primeira em que ele dedica os seus amores e às “coisas do coração”, às quais ele depois diz ser uma “tolice brava”; a uma segunda fase ao “intelecto” e. finalmente a uma terceira em que afirma render-se aos apelos do estômago até morrer.
«Onde está a Felicidade» - Publicado em 1856, o romance Onde Está a Felicidade? é um retrato fiel da sociedade da época, caracterizada pela importância do dinheiro e do estatuto como forma de promoção social. Trata-se de um romance onde impera a crítica à sociedade, representada pelas figuras de Guilherme do Amaral, que simboliza a riqueza, e de Augusta, que personifica a população de parcos recursos. Enredo: A história da busca da felicidade por parte de Guilherme e Augusta. Ambos apaixonam-se e tornam-se amantes, no entanto, Guilherme abandona a jovem, seduzido pela beleza de uma prima sua e Augusta irá perceber que a felicidade não é fácil de encontrar
«A doida do Candal» - Enredo: Quando Simão Peixoto ameaça a sua irmã Lúcia com o convento para que possa ficar com as heranças que por direito são dela, esta pede ajuda ao seu primo Marcos Freire. Com ajuda de José Osório este consegue retirá-la para casa de umas parentes. Furioso, Simão quer vingança, e tanto provoca Marcos que acaba por se bater em duelo com ele, matando-o. Quando a notícia chega a Maria da Nazaré, com quem Marcos tem um filho, esta enlouquece, ficando conhecida como a doida do Candal.
«O Lobisomem» - Peça de Teatro = Enredo: Uma aldeia localizada nas serras de entre Douro e Minho vive assombrada com as aparições de um lobisomem que ronda as imediações da povoação. Entre o medo e o mistério, resta ao povo tentar descobrir a quem dos vizinhos recaiu tamanha maldição.
«A Sereia» - Uma novela de Camilo muito popular no tempo da sua publicação mas que acabou por ser relegada para o esquecimento dentro da vasta lista de obras camilianas. Enredo: A trágica história de Joaquina Eduarda, cantora de palco a quem chamavam “A Sereia”.
submitted by Upa-upa-puxadote to Biblioteca [link] [comments]


2020.01.20 17:31 Gab8786 A PIOR SOGRA DO MUNDO. Me livrei, mas doeu.

Considerações:
Primeiro: eu juro que isso não é fanfic. Eu vivi isso, acredite ou não.
Segundo: primeiro post que envio para o turma-feira, ah que emoção. Recentemente seus turma-feira's têm sido meu melhor passatempo, gratidão imensa por fazer meus dias melhores.
Terceiro: Minha vida amorosa é uma tragédia (não a nível de Shakespeare, mas é quase), te contarei apenas um dos casos. Se você gostar, quem sabe eu te conte mais outros...
Provavelmente você terá que fazer um vídeo inteiro sobre isso. Vamos lá.
(Os números e nomes aqui estão trocados. Não mostre isso no vídeo, ok editor?)
Aconteceu em 2014.
Conheci Micaela, a namorada com quem eu casaria se existissem condições. A gente combinava em tudo. Em todas as conversas tínhamos uma harmonia ímpar, gostávamos de estar juntos em todos os momentos, não tínhamos divergência de pensamentos políticos ideológicos (eu nem ligava pra isso na época), ela gostava de muitas coisas que eu gostava, se esforçava pra gostar de outras e eu fazia assim com ela também. Era muito bom estar junto dela.
Eu andava 3 km a pé pra ver ela e valia muito a pena(não existia Uber na minha cidade ainda, mas mesmo que existisse eu iria a pé pq eu n tinha grana, e ela gostava de mim mesmo assim, o que prova a veracidade dos sentimentos dela).
Ela frequentava minha casa algumas vezes, meus pais amaram ela, fez amizade com meus irmãos mais novos, ela jogava videogame comigo. Era um sonho.
Só havia um problema. Dona Gertrudes, a mãe dela. Ah, Dona GERTRUDES... Como posso te explicar, Luba... Imagina uma mulher religiosa ferrenha com uma moral do século 18. Eu não sabia disso até então. Pelo visto nem Micaela sabia que a mãe poderia chegar a um nível tão ABSURDO no final da história. Micaela apenas dizia que não podíamos subir pro quarto dela porque a casa estava bagunçada devido a uma reforma, e a mãe queria me conhecer primeiro (com o tempo), ou que ao menos eu assumisse namoro antes que eu pudesse frequentar lá em cima. Tudo bem? Tudo bem. Não sou acostumado com cerimônias, mas tudo bem.
Isso fazia com que tivéssemos que transar dentro do banheiro do prédio dela(Sim, nos primeiros dias já estávamos apaixonados a esse nível). Tinha uma câmera em frente à porta, mas a gente ligava o foda-se e entrava mesmo assim.
Aí você se pergunta: porque não na minha casa, no meu quarto? Bom, eu dividia meu quarto com meus irmãos. Nosso AP. Era pequeno, apenas 2 quartos. Seria constrangedor, muito embora, algumas vezes considerarmos essa possibilidade mantendo meus irmãos fora, mas era difícil.
Alem disso, dona GERTRUDES não deixava Micaela vir pra casa de um amigo sem mais nem menos. Ela não deixava eu entrar na casa dela, porque ela deixaria a filha entrar na casa dos outros?(Lógica dela). Então as vezes, quase nunca, ela ia escondido pra minha casa. Portanto, o banheiro, quase sempre, era nossa única opção (lembrando, eu não tinha grana pra Uber, imagina pra motel).
Chegou o momento que a gente se cansou disso (3 semanas depois) e resolvemos assumir logo esse namoro. Dona GERTRUDES quis marcar um jantar para perguntar quais as minhas intenções com a filha dela. SIM, não era o pai que queria perguntar isso, afinal ela era....... MÃE SOLTEIRA. SIIIIIIIIM, LUBA, MÃE SOLTEIRAAAAAAAAAA. Pegou raiva né? Saiba que não é nada perto do que vc vai sentir.
Então o dia do jantar chegou. A mãe veio com a famigerada pergunta e eu armei um discurso todo fofinho... "Eu quero amar e respeitar sua filha, quero conhecê-la a fundo, saber dos seus desejos e sonhos de vida, quero aprender com ela e ensinar tbm" pra que que eu disse "quero aprender com ela"? Ela já deu sua primeira patada: "Espera um pouco... Aprender com ela? Minha filha não é professora de ninguém não!"
Eu comecei a dar risada achando que era zueira, mas eu via cada vez mais que não. Que ela estava falando sério mesmo.
"Que absurdo, num relacionamento ninguém ensina nada a ninguém não, tem que estar todo mundo maduro o suficiente sabendo das coisas da vida, e o homem é quem toma a frente e quem sabe mais das coisas, porque é o chefe da família! Se você assume essa postura você é um bunda mole, e eu não quero minha filha casada com um bunda mole. CASADA, sim porque você sabe que um namoro é um preparativo para um casamento. ALIÁS, sexo, nananinanão. Só depois do casamento. Entendeu, senhor Matheus? Aliás... Quantos anos você tem mesmo?"
"19..."
"Pois é. Você que é mais jovem não deveria casar com uma pessoa 6 anos mais velha que você. (Sim, ela tinha 25 anos) Ela tem que se casar com um cara mais velho, com condições de formar uma família. Você trabalha? Você tem uma casa própria? Não. Então eu não acho que você deveria namorar minha filha, mas eu não vou estragar isso no dia da inauguração desse namoro né? Eu abençoo vocês mas com a condição de que você deve assumir essa responsabilidade."
E eu: "Tudo bem."
Sim, Luba eu deveria ter terminado alí, mas eu gostava tanto de Micaela, e eu achava aquilo ridículo demais para ser verdade, além disso eu não sou um cara de se jogar fora, eu não ia deixar que ela me considerasse um cara qualquer, eu fazia faculdade de Medicina na Federal, tinha educação de moral elevada de berço, iria provar meu valor, mas foi muita falta de amor próprio da minha parte. "Deve ser só pressão" eu pensava... Aham... Vai achando!
Os meses foram passando, e eu ainda não podia entrar no convívio da casa de Micaela, e ela ficava cada vez mais ausente, e me dizia por whatsapp que a mãe estava vigiando ela, não deixou mais ela sair de casa por um tempo, até que, quando chegou no sétimo mês, ela me revelou que Dona GERTRUDES não quer mais que ela se encontrasse comigo. E eu "WTF???"
Eu comecei a xingar a mãe dela dizendo ainda "como ela pode controlar tanto assim a filha de VINTE E CINCO ANOS? Micaela, você tem que tomar a independência para sua vida! Não deixe sua mãe te controlar assim! É muita imbecilidade da parte dela."
"Matheus eu ainda não me formei, não tenho condições de construir uma vida sozinha, e apesar de tudo ela é minha mãe, e eu não quero viver brigada com ela!"
"E eu, tudo bem... Como que a gente faz então? Se encontra escondido?"
"Parece ser a única opção né."
Assim fizemos por algumas vezes até o dia que eu fui para o prédio dela escondido. Ela estava fazendo um projeto da faculdade sozinha. Dona GERTRRRRRUUUDES viu pela câmera do prédio e desceu.......................
Eu nunca fui tão humilhado na minha vida.
"O QUE VOCE ESTA FAZENDO AQUI? Eu já não falei pra você não ver mais a minha filha? Você é um imprestável, você não é suficiente para minha filha, você é um qualquer e minha filha merece muito mais. Você é jovem e vai viver muita coisa ainda, vai conhecer muita gente e se relacionar. E se um dia trair minha filha? O que eu faço? Não importa a idade dela ela sempre será minha filha e se você for a causa do sofrimento dela eu n sei o que eu faço com você. Eu sei porque eu vivi isso. Ok? Além disso, você acha que eu não vi vocês dois pela câmera quando entravam no banheiro? Eu vi você falando mal de mim pelo whatsapp da minha filha, alem das fotos dela pelada! Eu fiquei tão chocada com isso que eu não permito mais vocês dois juntos, vagabundo. Saia daqui, vai para sua casa, eu já falei com o condomínio para não permitir mais sua entrada aqui. Não fale mais com minha filha. Está avisado.".
Enquanto isso Micaela morria de chorar pedindo para a mãe não fazer isso e ela estava irredutível. Não me permitiu falar nada. As duas subiram. E eu andei 3km de volta pra minha casa com o coração destruído. Achando que tudo tinha terminado.
Cinco dias depois me liga Micaela dizendo que disse a mãe que ia na casa da amiga Jéssica que morava perto de mim algumas quadras, mas estava vindo para minha casa para conversar comigo, dizendo que não iria desistir de mim.
Conversamos, e daqui a pouco DONA GERTRUDES liga para Micaela dizendo que estava na rua de Jéssica para buscar ela, porque ela havia esquecido de resolver algumas contas da casa no banco e ela queria a ajuda da filha. Depois ela deixava de novo lá na casa da amiga.
Micaela entrou em desespero. Saiu correndo daqui. Chegando no portão da minha casa estava lá a Dona GERTRUDEEEEEEEEES. Ela tinha ativado GPS no celular da filha e sabia de tudo.
Do carro ela falou aos berros e buzinas que chamaria a polícia e me acusar de sequestro se a filha não saísse e entrasse no carro. Eu tive que chamar meu pai que estava trabalhando porque eu não estava aguentando essa situação. Ele chegou e viu a situação insustentável. Falou com Micaela e levou até o portão. Meu pai não falou nada. Chegando em casa ele falou comigo o quão sortudo eu era por eu ter me livrado da convivência com esse ser desprezível como sogra.
Nunca mais vi Micaela.
Fiquei numa depressão profunda durante meses. Pensando no que me aconteceu.
Meu amor foi arrancado de mim sem dó nem piedade. Como se eu a agarrasse e tivessem cortado meus braços para que eu a soltasse.
Depois disso tive alguns namoros que também não passaram dos 7 meses. Hoje estou solteiro. Sem ninguém para eu dizer "te amo". Ao menos não de uma maneira tão sincera quanto eu dizia a Micaela.
Fim.
submitted by Gab8786 to u/Gab8786 [link] [comments]


2019.12.01 05:33 Eilish1 O AMOR te assusta?

O amor te assusta?
Minha irmã me mostrou uma amiga dela que ela queria me apresentar. Eu concordei. Um dia elas estavam no shopping e fizemos um facetime, eu estava voltando do trabalho. Conversa vai, conversa vem, e a moça me solta a seguinte frase "eu não sou de brincadeira não, sou pra casar. Você poderia me levar pra jantar um dia desses". E o idiota aqui caiu nessa, igual um cachorrinho pulando na água pra pegar uma bolinha.
Nos vimos no dia seguinte, e assim... não tenho intenção de desrespeitar nenhuma garota, mas com ela foi muito fácil. O jeito que ela veio foi muito fácil. Na hora eu só pensei em duas hipóteses: 1. Ela realmente tá muito interessada // 2. Ela ta muito acostumada com isso.
Conversando com a minha irmã ela me disse que ela sempre diz que quer algo sério, mas fica com todo mundo que vê na frente. Então estamos mais pro lado da segunda opção. Ela não tá errada de maneira nenhuma em ficar com quem ela quer, o que não pode é dar a entender uma coisa séria e na real não ser nada. Parece até o classico estereótipo de homem escroto.
Pois bem. O primeiro "encontro" foi excelente. O problema de fato começou quando ela foi embora, pois não respondia o whatsapp. Eu via ela online e nada. E não era algo de tipo "to ocupada agora, entrei aqui rapidinho pra falar com alguém urgente". Eu relevei isso, ninguém é obrigado a responder ninguém, eu mesmo as vezes não respondo pq não to a fim de ver mensagens. Trabalho com redes sociais o dia inteiro.
Fui relevando esse vácuo. Até que ela percebeu que eu estava curtindo ela, e de fato eu estava, estou. Ela comentou com a minha irmã, e como é a minha irmã, ela me contou. Depois ela me disse que estava confusa, e não sabia o que queria. Se era algo sério, ou não. Falei com ela pra apenas deixar rolar, não se apressar, não tem necessidade. Ela concordou.
Depois de alguns dias ela voltou com essa história de novo. O que me confundia era o fato dela ser uma pessoa totalmente diferente comigo pessoalmente, e no whatsapp parecer que eu estava incomodando ela. Pessoalmente eu nunca cheguei comprimentando ela com beijo, por que eu nunca soube se poderia. Sempre que a iniciativa era minha ela barrava. Após alguns minutos elas sempre me pedia um beijo, e ao final do dia, no whatsapp era a mesma coisa. Até que um dia eu decidi não dar esse beijo. Ela cobrou mais algumas vezes, até a hora que disse "tá bom, desisto" e ficou meio triste. Eu chamei ela pra conversar, disse que de fato eu estava gostando dela, e que não estava saindo com mais ninguém além dela. Eu tentei passar confiança, entende? Porque achei que ela estava confusa, não sabendo se poderia confiar em mim e com medo de se ferrar futuramente. Ela me perguntou se eu namoraria com ela, mas não foi um pedido de namoro, foi só uma pergunta mesmo. Eu disse que claro. Ela sorriu.
Na volta pra casa, eu perguntei pra ela do que ela tinha medo. Ela me disse que tinha medo de eu não ser suficiente pra ela, e nem ela ser suficiente pra mim. Na hora eu juro que não entendi. Depois eu parei pra pensar, e acho que traduzindo isso seria algo do tipo "Não sei se quero você, ou se espero outro cara aparecer". É foda porque ela foi quem falou em relacionamento sério, ela que falou que estava olhando alianças de namoro no shopping com a minha irmã, ela falou. O que ela esperava que eu entendesse? No começo eu só estava deixando rolar, depois eu realmente gostei dela. Doeu as três vezes que ela falou "vamos ser só amigos, o que acha?" as duas primeiras eu discordei, mas na terceira eu achei que eu já estava incomodando. Achei que ela só não tava com coragem de por um ponto final definitivo. Então concordei, mas deixei claro que não era isso que queria.
Em uma conversa eu disse pela milésima vez que ela era linda. Ela printou e postou no status com a legenda "ele é demais!!". Fiquei super feliz quando eu vi. Dias depois ela postou um outro print, de um outro cara que salvou o contato dela como "Vida 💍", e usou a mesma legenda. Me perguntei quantas vezes ela fez isso.
Estou bem pra baixo ultimamente. Meu aniversário está chegando mais uma vez, vou passar natal, ano novo, férias, novamente pensando que eu poderia estar dividindo essas experiências com alguém. Eu sei que temos que curtir nós mesmos, mas um relacionamento realmente é algo que eu queria. Sempre quis ter alguém pra viajar, dividir dias bons e ruins, apresentar pra minha mãe. Esse é outro ponto que ela foi cara de pau. Por ser amiga da minha irmã, foi muito mais fácil ela vir aqui em casa, inclusive quando ela veio eu nem sabia, veio com a minha irmã. Conheceu minha mãe, e minha mãe não é boba, já perguntou "porque vocês não namoram?" eu disse: porque ela não quer. E ela disse: ele que não quer. Eu fiquei igual aquele meme do John Travolta sem entender nada. Minha mãe perguntou se ela gostava de mim, e ela disse que sim. Mas foi um sim meio duvidoso, eu percebi. Acho que só ficou sem jeito. Depois ela me perguntou, e eu não falei nada. E ai sim ela implicou. Ela sabe que eu gosto dela, eu já falei varias vezes.
Agora não temos mais nada. Tem umas três semanas que eu não vejo ela, volta e meia ela manda mensagem como amiga, sem nada de mais. Por experiência, eu sei que não vou conseguir ser amigo dela. Esse foi um breve resumo, eu não me apaixono fácil. Não contei das vezes que fomos andar de skate, comer pizza até não conseguir nem respirar direito, fazer competição de arroto em familia (eu acho que foi nessa hora que ela me ganhou haha), ensinar ela a andar de patins, entre varias outras paradas, momentos que te fazem curtir a pessoa.
Eu amo ela de verdade, mas não gosto mais dela.
submitted by Eilish1 to desabafos [link] [comments]


2019.05.08 04:00 marque_mark1 17 anos, romântico, nunca namorei.

17 anos, romântico, realista (isso é possível), pobre e feio. Nenhuma menina me olha como um possível namorado, ninguém me olha como um homem. Se olha, é com desprezo.
Fico imaginando se vou conseguir me casar, ter filhos, ainda mais nos dias de hoje. Sou o tipo certinho, não sou de festa, não bebo, tenho alguns princípios, como a castidade, mas ninguém valoriza mais essas qualidades nos dias de hoje. Hoje a libertinagem é regra.
Acho que nem por pena alguém ficaria comigo.
Estou cansado.
Nesse momento escuto uma balada romântica. Nasci na década errada. Em 1990 as pessoas eram mais humanas.
PS: Não quero ser uma pessoa que eu não sou por causa de outrem. Não vou virar rato de balada e farra - repudio tais formas de diversão - para "pegar" mulher. Apenas queria saber se alguma mulher de verdade ainda poderá surgir na minha trajetória.
PS2: Não sou exageradamente melodramático, apenas gosto de músicas românticas e quero muito ser esposo e pai - os maiores propósitos de um homem. Não agora, teria todas as etapas, namoro, noivado...
submitted by marque_mark1 to desabafos [link] [comments]


2019.02.15 03:22 euvictorluiz Pqp, o que está acontecendo????

Olha só como são as coisas o cara faz pedido de namoro para uma garota e ela leva 6 anos para aceitar o pedido, outro dia vi no Instagram um cara que passou 5 anos "orando" para poder pedir uma garota em namoro, o mais engraçado é que se um homem namorar uma mulher por 2 ou 3 anos o povo diz que o cara tá enrolando que não quer casar essas baboseiras toda.
submitted by euvictorluiz to desabafos [link] [comments]


2018.02.16 22:28 crucialmon Desabafo: Me tornei o que mais repugnava...

Olá pessoal deste novo sub. Sei que provavelmente somos poucos, mas queria compartilhar algo com vocês que está me deixando mal.
Sou homem e gay, desde jovem sonhava em casar com um cara, ter filhos, ser fiel para sempre, envelhecer e no geral, seguir uma vida padrão monogâmica hétero aplicada a um casal gay. Esses valores me fizeram sempre repugnar outros caras gays que tem relacionamentos abertos, caras que vão em sauna e darks de baladas, e pessoas promíscuas no geral.
Nesses anos, eu consegui conquistar uma vida de acordo com meus valores. Trabalho, ganho um bom dinheiro, tenho qualidade de vida boa, namoro faz 7 anos, nunca trai meu namorado, e recentemente me mudei para o meu próprio apartamento.
O problema é que nos últimos meses fui sendo "possuído" por algo que sinto que eu não tenho controle. Eu sinto atração pelo meu namorado, mas não é algo super forte. Quando transamos é gostoso, mas não é tão empolgante. E, assim, fui decaindo...
Começou comigo entrando em chat do UOL e batendo punheta online com caras desconhecidos sem mostrar o rosto. Sempre que eu fazia isso eu me sentia muito mal depois, mas meus pensamentos justificavam com "Ah... Eu não tenho contato físico com ninguém e ninguém sabe quem sou, então tecnicamente não é uma traição verdadeira".
A partir de então, fui ficando cada vez mais necessitado e precisando de mais e mais horas acordado de noite fazendo isso no chat. Até que por motivo de trabalho, me mudei para esse meu novo apartamento.
No momento, meu namorado não pode morar comigo por trabalhar em outro lugar e fiquei com bastante tempo livre sozinho.
E assim, como diz o ditado "mente vazia é oficina do diabo", acabei criando uma conta no grindr sendo guiado pelo meu próprio tesão irracional e olha que coincidência, tinha um vizinho no apartamento de baixo pronto para conversar comigo.
Conversamos e advinhem, ele me chamou para ir lá e só transar. Hesitei, fiquei preocupado, mas meu tesão foi mais forte. Cheguei no apartamento dele, estava com as luz apagada e ele já pelado na cama, comprimentei, transamos e fui embora. E assim, em questão de meia hora, destruí todos os meus valores virando na meu próprio entendimento uma "gay safada e traidora".
E ainda mais, o sexo com esse cara não foi bom a ponto de "ter valido a pena", mas agora tenho esse fantasma para me perseguir mentalmente para sempre.
Não sei mais o que pensar, por um lado a situação está "controlada" porque o vizinho não sabe meu nome, meu apartamento, meu telefone, não viu meu rosto no claro e apaguei o perfil do grindr e tudo relacionado assim que foi possível, por outro, não sei como encarar meu namorado, sinto que isso vai ficar em mim e me perturbando toda vez que eu ver o sorriso amoroso dele direcionado a mim.
Eu amo muito meu namorado, ele é tudo que eu sempre desejei... monogâmico, quer construir futuro juntos, e pensa como eu, mas não sei como lidar com a situação caso eu tenha que contar e tentar arranjar algum acordo para "abrir o namoro" ou coisa similares.
Existe algum conselho que vocês possam me dar? Experiências similares? Alguma droga que diminua libido? Estou mal de verdade...
Me ajudem por favor...
TL;DR: Trai meu namorado e de acordo com meus valores, me tornei a coisa que eu mais repugno na face da terra.
submitted by crucialmon to arco_iris [link] [comments]


2017.10.19 16:50 AlanWake007 Escrevi um texto, sei que ficou bosta mais queria saber no que eu poderia melhorar.

Eu fiz esse texto ontem depois do almoço, eu sei que ficou bosta, mais queria a opinião de vocês no que eu poderia melhorar, levando em conta que foi a primeira historinha que eu fiz e que eu demorei cerca de 30 minutos pra fazer.
19 de março de 2016 west Dubartonshire na Escócia, Brenda acordou as 07:00 da manhã estava com sono, não tinha conseguido dormi bem no dia anterior por ter tido muito insônia ultimamente, isso pode ter sido devido a sua rotina que mudou bastante no últimos dias, além dos estudos ela agora conseguiu um emprego como auxiliar de administrativo. A vida seguia bem, não era a melhor aluna da escola nem a mais esforçada, mais era uma garota comum tinha amigos e uma família que a amava, ela tinha acabado de fazer 15 anos e começava a entrar na vida adulta, apesar de não ser um adulta de fato ela ja pensava no seu futuro, ela não queria se casar ( não era muito religiosa ), mais queria construir uma família se estabilizar em um emprego e ser feliz... Agora já eram 07:30, ela tinha acabado de se levantar da cama, o dia parecia estava nublado o céu cinza e o tempo frio, não tomou café, na verdade nunca gostara de tomar café quando acordava, era uma mania, seu pai já tinha saído pra trabalhar e sua mãe estava terminando de fazer o café, seu irmão estava na sala assistindo as notícias diárias do jornal. Brenda foi pro banheiro se arrumou esperou dar a hora de sair de casa e foi caminhando pra escola, a escola de Page ficava perto de sua casa, por isso nunca se preocupou muito em se atrasar, ela tinha chegado cedo na escola, tinham umas 7 pessoas na sala, 4 estavam conversando sobre o último episódio de game of thrones, e as outras 3 pareciam falar algo relacionado a "legalização da maconha", Page podia ter se juntado a ambos os grupo, já que apesar de ter mais intimidade com seus amigos pessoais, ela sempre foi boa em se socializar e conversava com quase todos de sua classe, mais preferiu sentar em sua cadeira e esperar o resto dos alunos e seus amigos chegarem, pegou seu celular e conferiu se tinha algo importante no se WhatsApp, não tinha nada demais algumas mensagens de suas amigas, uma da sua mãe desejando Bom Dia e outra de uma garoto que ela vem falando a pouco tempo. Nunca tinha gostado de um cara antes e era a primeira vez que ela realmente parecia gostar de alguém, O nome dele era Wallace e ele tinha chamado ela pra conversar fazia umas 2 semanas atrás, ela logo começou a gostar dele, mais não queria ir muito rápido ( não queria deixar uma má impressão), mais sempre que ele chegava perto dela seu coração disparava, se sentia apaixonada mesmo sem saber o que isso significava, suas amigas davam apoio já que ele parecia ser uma boa pessoa... O resto da classe começa a terminar de chegar, incluindo suas amigas, uma delas chegou para Brenda e disse que Wallace queria falar com ela na hora do intervalo, Brenda perguntou o que era mais sua amiga também não sabia, portanto não se tinha oque fazer, o que claro não há fez ficar menos curiosa ou ansiosa. O Professor tinha acabado de chegar na sala era aula de Geografia, apesar de não gostar muito desse professor ela gostava de geografia, mais não estava nem um pouco afim de ver a aula, só conseguia pensar no que o Wallace tinha pra dizer a ela, tentou se acalmar e espera a aula passar, torcendo que passasse rápido, pegou seu caderno e ficou desenhando, era um do seus passatempos, desenhar ha acalmava e deixas as coisas mais felizes e além disso ela era muito boa nisso, gostava de desenhar desde que era pequena, e esse hobby nunca foi tratado com algo esquisito, na verdade seus amigos e até mesmo alguns "conhecidos" sempre pediam ela pra desenhar coisas pra eles , e isso não a irritava, na verdade era uma prazer imenso desenhar pro seus amigos, claro que sempre tinha alguns amigos que pediam umas coisas mais ousadas como desenhos pornográficos ou alguma coisa bizarra, mais não a incomodava muito, ja que ela via aquilo como uma forma de arte... A aula já estava acabando faltava 20 minutos, mais assim que Brenda começou a para de desenhar e olhar as horas parecia que faltava uma eternidade, estava tão ansiosa para saber o que o Wallace queria que começava a roer as unhas, uma de suas amigas comentou com a outra, dizendo como Brenda estava ansiosa e começaram a rir, ela não se incomodava com esses tipos de brincadeira e riu junto.... Estava dando 10:00 a aula tinha acabado, Page não saiu correndo desesperada pra encontrar com Wallace no intervalo por que queria parecer calma, eles não demoraram se encontrar Walalce a esperava perto da fila do refeitório, ele a comprimento, começaram a conversa e ele logo tocou no assunto dizendo que tinha algo para dizer a ela, ela curiosa perguntou o que era, e ele disse queria dizer pra ela mais em outro lugar, então ele deu a ideia dos dois de se encontrarem no mesmo dia numa praça que ficava perto de sua casa, era uma praça que normalmente casais iam pra namorar e até mesmo grupos de amigos iam para se divertir e beber cerveja, ela apesar de ficar mais curiosa ainda, aceitou o convite, despediu do James e foi logo contar pra suas amigas. Suas amigas sentiram a mesma empolgação que ela, e já disseram para ela que com certeza ele queria pedir ela em namoro, o que fez o coração de Brenda ficar ainda mais acelerado, ela se sentia tão feliz com a possibilidade de começar a namorar, ela nunca pensou em namorar cedo, mais se sentia tão contente em começar um namoro com uma pessoa que ela gostava .... As outras aulas passaram rápido, e agora Brenda já se via voltando para casa com mil pensamentos na cabeça, pensava o que o Wallaace queria dizer com ela, o que os pais dela iam achar se ela começasse a namorar, e o que as amigas dela iam achar disso... Era tão coisa na cabeça, que ela decidiu que precisava ficar calma para se encontrar com o garoto mais tarde, então decidiu passar numa padaria e comprar algo pra comer antes de ir pro seu estágio, ela então chegou no local e decidiu que ia comprar um sanduiche, não ia comer o lanche agora, ia deixar pra comer no seu estagio, já que sempre sobrava um tempinho pra um lanche onde ela estagiava, chegou no local( a padaria estava vazia ), Brenda chegou para o dono da Padaria e pediu um sanduiche e uma coca, ele cobrou o valor do lanche e logo após pulou pra cima da Brenda e desferiu uma facada na altura do seu abdômen, Brenda caiu no chão com muita dor mais sem conseguir gritar, então o homem da padaria sem motivo algum começou a desferir várias facadas no peito da adolescente, que demonstrava tentar parar as apunhaladas com a mão, no mesmo momento ela já não parecia estar mais consciente, os olhos começavam a fechar( estava morrendo) , enquanto o homem da padaria continuava a dar facadas no rosto da jovem, que começava a ficar desfigurado( agora já morta) a faca conseguia atravessar todo o rosto e sangue voava por toda parte, foram tantas facadas no corpo de Brenda que mal podia se contar, o corpo estava simplesmente e totalmente mutilado, depois das facadas o homem tirou a roupa da adolescente e a começou a estuprar o corpo já morto enquanto dava socos no cadáver de Brenda, depois de ter terminado, o homem pegou o corpo e jogou no mar que ficava próximo a cidade. FIM
submitted by AlanWake007 to brasil [link] [comments]


2017.05.21 12:35 anselmocaramelo Mulheres, qual seria sua reação se marido fosse incriminado na Lava Jato?

Esse pergunta é propícia nos dias atuais. Imagine que vocês um dia conhecem um homem bem sucedido e abastado, e depois de um breve namoro resolvem se casar. A história parece perfeita, mas depois de um tempo aquele serviço dele para o governo se revela um grande esquema de corrupção e o nome do esposo começa a surgir. Como você nunca se preocupou com o trabalho dele, apenas fica sabendo quando já é tarde demais, ele é preso e mandado para Curitiba. Diante dessa situação qual seria sua reação? 1- Continuaria apoiando o esposo mesmo sendo culpado, indo à PF e fazendo visita íntima; 2- Busca a separação, pois a corrupção é um ato de traição ao país e não merece apoio. E aí, meninas, 1 ou 2 ?
submitted by anselmocaramelo to brasil [link] [comments]